O Estado de S.Paulo: Ninguém fica para trás

2019-05-07T10:12:48+00:00 29/04/2019|

Pesquisas mostram o efeito nefasto da baixa expectativa na aprendizagem dos alunos

Renata Cafardo*, O Estado de S.Paulo

Um dos lemas dos países que têm atualmente o melhor desempenho em educação no mundo é não deixar ninguém para trás. Ou seja, acreditar que qualquer criança pode aprender. E mover o ensino para isso. É assim na Estônia, Finlândia, Cingapura. Dão, inclusive, mais atenção e mais recursos aos mais pobres, com pais menos escolarizados, sem acesso a livros. Vários resultados já deixam claro que o Brasil não segue essa máxima.

Um dos mais tristes é o que demonstra que os professores não acreditam que seus alunos terão um futuro. Dados recentes tabulados pelo Instituto Iede mostram que só 55,2% dos que dão aulas para o 5.º ano, ou seja, para crianças de 10 anos, acham que elas terminarão a escola. E, pior ainda, apenas 13,3% acreditam que elas entrarão na universidade. As declarações foram dadas em questionários DAS provas do Sistema Avaliação da Educação Básica (Saeb) feito pelo Ministério da Educação (MEC) em 2017, em todo o País.

Leia o texto na íntegra no Estado de S.Paulo 

Leia também:
Mais de 60% dos diretores afirmaram que faltaram livros didáticos para os alunos em 2017

Acesse a seguir todas as análises dos questionários do Saeb 2017: