Folha de Pernambuco: Escolas públicas: onde falta tanto, internet ainda é luxo

2018-01-08T16:38:15+00:00 03/01/2018|

Estudantes do Brasil só perdem para os da República Dominicana no quesito “falta de estrutura para uso de computadores” nas salas de aula

Pouco mais de 28% dos estudantes do Brasil têm acesso a computadores com internet nas escolas. A porcentagem perde apenas para a República Dominicana, com 28,18% – imagine que a média é de 55,9%. Os dados são do estudo organizado pelo Iede (Interdisciplinaridade e Evidências no Debate Educacional), com base em informações coletadas no Programa Internacional de Avaliação de Alunos (Pisa).

Temos a segunda pior conectividade nas escolas entre os países que participaram da pesquisa, onde alunos responderam a perguntas sobre o uso de computadores nas suas instituições de ensino. Mais de 20% afirmaram que em suas escolas há computador, mas eles não são acessados pelos estudantes. Nesse grupo estão também as que só possuem máquinas para uso administrativo e aquelas onde as escolas receberam as máquinas, mas não têm como colocá-las em funcionamento, ou por falta de estrutura elétrica ou de acesso à internet.

Em novembro passado, o Governo Federal lançou o programa batizado de Política Nacional de Inovação Educação Conectada. A meta é levar internet, até o fim deste ano, a 22,4 mil escolas públicas nas áreas urbana e rural, beneficiando cerca de 12 milhões de alunos com investimento de R$ 271 milhões. Que dê certo, porque é difícil imaginar a execução desse avanço em um cenário onde tantas escolas perdem alunos por falta de merenda e até de professores.

LEIA A REPORTAGEM NA ÍNTEGRA NO SITE DE ORIGEM