Porvir: Documento analisa propostas de Bolsonaro e Haddad para a educação

2018-10-26T12:09:40+00:00 25/10/2018|

Pesquisadores avaliam as principais propostas defendidas pelos presidenciáveis nos planos de governo ou em diferentes momentos da campanha

por Redação do Porvir

Às vésperas do segundo turno, as eleições de 2018 ficaram marcadas pela disseminação de notícias faltas nas redes sociais. Para combater a desinformação e qualificar a discussão, o Portal Iede (Interdisciplinaridade e Evidências do Debate Educacional) divulgou um documento que analisa as principais propostas dos candidatos à Presidência da República, Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT), para a área de educação.

A publicação apresenta cinco propostas que constam nos planos de governo de cada um dos presidenciáveis ou foram defendidas por eles em diferentes momentos da campanha. Entre os temas, estão tópicos como jornada escolar, ações afirmativas, currículo, políticas para professores e políticas de ensino superior.

A convite do Iede, participaram da análise os pesquisadores Simon Schwartzman, ex-presidente do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia Estatística), Paula Louzano, diretora da Faculdade de Educação da Universidad Diego Portales, no Chile, Telma Vinha professora da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas) e Daniel dos Santos, da USP (Universidade de São Paulo), entre outros nomes.

Algumas propostas analisadas apresentam maior ou menor potencial para inovar na educação, conforme já destacado pelo Porvir na matéria “5 dos 13 presidenciáveis trazem ao menos uma proposta para inovar na educação“.

Entre alguns dos apontamentos, o documento mostra que a educação a distância desde o ensino fundamental, bandeira levantada por Bolsonaro, não é adotada como política educacional em nenhum dos melhores sistemas de ensino. “Privar crianças e adolescentes de escolas presenciais é privá-las dessas formas de desenvolvimento obtidas pela convivência com colegas e com a equipe escolar”, defendem os pesquisadores Gabriela Moriconi e Paula Louzano em uma das análises.

As políticas de educação integral, apresentadas no plano de Haddad, também são analisadas na publicação. De acordo com o artigo escrito pelo pesquisador Tadeu da Ponte, do Insper, é importante que esses programas sejam tratados como políticas de estado e não de governo. Ele destaca a Portaria nº1.023, de 4 de outubro de 2018, que estabelece diretrizes para a realização de avaliação de impacto do Programa de Fomento às Escolas de Ensino Médio em Tempo Integral, e sugere que o candidato do PT adote uma postura de continuidade, sem desqualificar todas as ações elaboradas pelo governo atual.

Acesse o documento aqui para conferir todas as propostas que foram analisadas por pesquisadores convidados pelo Iede.

Acesse a reportagem no site do Porvir