Iede e CTE-IRB lançam no dia 25/11 o estudo “Permanência Escolar na Pandemia”

2021-11-12T18:38:29-02:00 12/11/2021|

Os resultados da pesquisa serão apresentados em um webinário no Youtube do Iede. Haverá também um painel de discussão com secretárias de educação 

 

O Interdisciplinaridade e Evidências no Debate Educacional (Iede) e o Comitê Técnico da Educação do Instituto Rui Barbosa (CTE-IRB) lançam, no dia 25 de novembro, às 14h, no Youtube do Iede, o estudo “Permanência Escolar na Pandemia” (PEP). A pesquisa, que teve a parceria de Tribunais de Contas brasileiros, apresenta uma visão geral sobre a adesão dos estudantes da rede pública às atividades propostas pelas escolas durante o período de pandemia, tendo como referência o mês de abril de 2021.  

O webinário de lançamento terá a participação das secretarias de Educação de Nova Brasilândia D’Oeste (RO), Maria Rezende, e de Lucas do Rio Verde (MT), Elaine Lovatel, além de representantes dos Tribunais de Contas de Rondônia e de São Paulo, para discutir boas práticas de sistematização e gestão dos dados dos estudantes e também para evitar o abandono e a evasão escolares. 

 

Sobre o estudo – Além do panorama sobre a participação dos estudantes nas aulas on-line e, ou, entregando os conteúdos impressos disponibilizados, o estudo traz práticas de busca ativa e outras ações para garantir que o vínculo entre os alunos e as escolas fosse mantido. 

A pesquisa possui informações de redes de ensino de 23 Estados e do Distrito Federal. A coleta e a validação das informações foram feitas por técnicos de 29 Tribunais de Contas.

“Uma criança ou jovem de 4 a 17 anos precisa estar na escola, precisa ter seu direito à educação atendido. O estudo é sobre o olhar para esse direito, se as redes estão conseguindo acompanhar e garantir a permanência, e também para trazer referências do que pode ser feito por quem não está conseguindo”, explica Ernesto Faria, diretor do Iede.

O estudo “Permanência Escolar na Pandemia” tem o apoio da Associação dos Membros dos Tribunais de Contas do Brasil (Atricon), do Instituto Rui Barbosa (IRB) e do Conselho Nacional de Presidentes dos Tribunais de Contas (CNPT).