Excelência com Equidade nos Anos Iniciais do Ensino Fundamental

2019-10-04T16:58:41-02:00 04/10/2019|

A Fundação Lemann e o Itaú BBA realizaram, em 2012, o primeiro estudo da série Excelência com Equidade. Na ocasião, foram mapeadas escolas púlicas que atendiam alunos de baixo nível socioeconômico e conseguiam bons resultados nos anos iniciais do ensino fundamental (1º ao 5º ano).

Acesse o estudo Excelência com Equidade nos Anos Iniciais

Os critérios adotados foram: pelo menos 70% dos alunos da escola deveriam ter realizado a Prova Brasil 2011, e a escola deveria ter pelo menos 70% dos alunos no nível adequado de proficiência em língua portuguesa e matemática. Somente 5% dos estudantes, no máximo, poderiam estar no nível insuficiente. Para isso, foi adotada a interpretação que pesquisadores e organizações como o Movimento Todos pela Educação fazem da escala do Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb).

Além disso, as escolas também deveriam ter evoluído no Ideb e nos dados de aprendizagem desde 2011. Com a adoção desses critérios, chegou-se a um grupo de 215 escolas.

A pesquisa de campo (qualitativa) buscou entender as estratégias e práticas comuns às escolas de bons resultados. Para isso, foram os pesquisadores visitaram duas escolas no Nordeste, e uma escola em cada uma das outras regiões do país. Todas que atingiram os critérios do estudo.

Nesses locais, foram realizadas entrevistas com o secretário municipal de educação da cidade, com o diretor escolar, coordenador pedagógico e trio de professores, além de grupo focal com os alunos e observações do ambiente escolar. Os resultados dessas análises estão divididos em duas seções: “o quê”, que traz as práticas comuns às escolas de bons resultados; e “como”, que discute as estratégias-chave usadas por essas unidades ao implementar mudanças.

Acesse o estudo Excelência com Equidade nos Anos Iniciais

Acesse também os outros estudos da série Excelência com Equidade:
Anos Finais do Ensino Fundamental
Ensino Médio