Jornal Nacional: apenas 3,3% dos alunos brasileiros esperam ser professores e eles têm pior desempenho

2018-07-31T15:05:46+00:00 31/07/2018|

Somente 3,3% dos alunos brasileiros de 15 anos esperam ser professores e a média deles em leitura, matemática e ciências no Pisa (Programa Internacional de Avaliação de Estudantes, na sigla em inglês) 2015 é inferior à média nacional. “Alunos que têm um bom nível de proficiência não estão buscando ser professores, estão buscando outras áreas. E o professor é o que forma os alunos, o que vai poder fazer mudar a sociedade. Então, isso é alarmante!”, afirmou Ernesto Faria, diretor-fundador do Iede (Interdisciplinaridade e Evidências no Debate Educacional), em reportagem veiculada no Jornal Nacional, da Rede Globo, nesta segunda-feira, dia 30.

Assista aqui a reportagem do Jornal Nacional

O Iede tabulou e analisou as respostas dos estudantes de 70 países e regiões avaliados pelo Pisa 2015 sobre a profissão que eles esperam ter aos 30 anos de idade. O estudo “O perfil dos alunos que esperam ser professores“ mapeia qual a proporção de estudantes que espera ser professor no Brasil e nas outras economias avaliadas e como é o desempenho deles em relação àqueles que esperam seguir outras carreiras.

Acesse o estudo “O perfil dos jovens que esperam ser professores”

Enquanto a média geral dos alunos brasileiros no Pisa 2015 foi de 377.1 pontos em matemática, 400.7 em ciências e 407.3 em leitura, a de quem espera ser professor foi ainda mais baixa: 358.5 em matemática, 380.6 em ciências e 388.9 em leitura.

Pesquisa: metade dos professores não recomenda a profissão

A pesquisa “Profissão Docente”, do Todos Pela Educação e do Itaú Social, vai na mesma direção e aponta que 49% dos professores brasileiros não recomendaria a própria profissão aos jovens. Foram ouvidos 2.160 professores da Educação Básica espalhados por todo o país, tanto da rede pública como da particular. Entre as razões para não recomendar a carreira, os profissionais citam pouca valorização e baixo salário.