Folha Nobre: Mapeamento inédito lista mais de duas mil escolas que estão conseguindo se destacar nas avaliações externas de aprendizagem

2017-11-28T10:45:30+00:00 23/11/2017|

Um levantamento inédito apresenta um mapeamento de escolas públicas com bons resultados no Brasil, em três categorias: Excelência com Equidade, Destaque Regional e Bom Percurso. A primeira categoria aponta escolas de bom nível de desempenho nas avaliações externas, enquanto a segunda traz as escolas que estão avançando mas ainda não estão num patamar alto, e já a terceira categoria destaca as melhores escolas por microrregião e que atingem no mínimo o patamar nacional nos indicadores de aprendizagem.

O mapeamento é um desdobramento da série Excelência com Equidade, resultado de uma parceria entre a Fundação Lemann, o Instituto Credit Suisse Hedging-Griffo e o Itaú BBA e que estuda escolas públicas com bons resultados educacionais.

“O estudo Excelência com Equidade patrocinado pelo Itaú BBA ressalta os esforços de escolas públicas em promover e melhorar a aprendizagem dos alunos e mostra que é possível criar novos caminhos para um ensino de qualidade.”, aponta a assessora de educação do Itaú BBA, Ana Inoue. Isabel Aché Pillar, superintendente do Instituto Credit Suisse Hedging-Griffo, complementa: “Precisamos estudar a fundo quais aspectos garantem um bom aprendizado dos alunos da rede pública de ensino”.

As escolas de destaque de Rondônia

Na primeira etapa do Ensino Fundamental, nove escolas de Rondônia foram classificadas  como “Bom Percurso” e cinco como “Excelência com Equidade”. Além dessas escolas, foram listadas também instituições que se destacaram em comparação às outras de suas microrregiões.

A análise sobre o mapeamento de escolas está disponível no site da Fundação Lemann. Clique aqui para ler. Veja também a lista completa de escolas contempladas: anos iniciais do Ensino Fundamental e anos finais do Ensino Fundamental.

Apesar dos bons exemplos, ainda há desafios

O mapeamento aponta uma dificuldade do país em enfrentar desigualdades regionais. Muitos estados do Norte e do Nordeste do país ainda possuem poucas escolas com bons resultados, principalmente nos anos finais do Ensino Fundamental. O diretor executivo da Fundação Lemann, Denis Mizne, aponta a necessidade de suporte da secretaria e boas formações para os educadores: “É essencial investir na formação dos professores”.

O mapeamento mostra que nenhuma escola dos estados do Amapá, Sergipe e Roraima foi classificada como “Bom Percurso” ou “Excelência com Equidade, ilustrando desafios que regiões com renda per capita baixa têm enfrentado em educação.

“O número de escolas com resultados mais razoáveis de aprendizagem em matemática e leitura cresceu muito nos últimos 5 anos. O problema é que essas escolas estão concentradas em algumas regiões. Há microrregiões com vários municípios em que não há uma escola sequer que consegue garantir um terço dos alunos com um bom nível de aprendizado”, avalia Ernesto Martins Faria, coordenador dos estudos Excelência com Equidade e diretor executivo do Portal Iede.

O mapeamento aponta também um número mais alto de escolas com bons resultados na primeira etapa do Ensino Fundamental do que o encontrado na segunda etapa. São 314 escolas “Excelência com Equidade” e 313 “Bom Percurso” nos anos iniciais, enquanto nos anos finais o número é de 84 e 81, respectivamente.

LEIA A REPORTAGEM NO SITE DE ORIGEM