Entrevista ao Centro do Professorado Paulista (CPP): “Os melhores alunos estão fugindo da carreira docente”, diz Ernesto Faria

2018-08-17T16:01:39+00:00 17/08/2018|

Estudo do Iede mostra que alunos que esperam ser professores no Brasil têm desempenho inferior à média nacional

“Alunos de mais baixo desempenho e mais baixo nível socioeconômico acabam escolhendo carreiras que não são tão atrativas e as (carreiras) da área de educação, como pedagogia e licenciaturas, estão entre elas”, afirmou Ernesto Faria, diretor do Interdisciplinaridade e Evidências no Debate Educacional (Iede) em entrevista à TV CPP, do Centro do Professorado Paulista.

Assista a entrevista seguir:

Ernesto comentou os dados do estudo “O Perfil dos jovens que esperam ser professores”, feito pelo Iede com base nos microdados do Pisa (Program for International Student Assessment) 2015.

O estudo mostra que 3,3% dos estudantes que esperam ser professores tiveram médias mais baixas em ciências, matemática e leitura que a média geral dos alunos brasileiros. Veja na tabela a seguir:

Fonte: Pisa 2015, OCDE. Tabulado por Iede.

Nos países que estão no topo do Pisa, com as médias de aprendizagem mais altas, quem espera ser professor tem desempenho acima da média geral dos alunos. É o caso, por exemplo, de Estônia e Finlândia. “Esses países têm cultura de valorização da escola e valorização do professor. Acredita-se que o professor pode fazer a diferença na vida dos alunos”, comenta Ernesto.

Acesse o estudo “O perfil dos jovens que esperam ser professores” na íntegra

Segundo ele, a grande provocação que o estudo traz é sobre como tornar a carreira docente mais atrativa no Brasil. “Isso passa por salário, mas há outras questões, como condição da escola, não só de infraestrutura, mas de equipe, de como o gestor, o coordenador pedagógico e a própria secretaria podem ajudar esse professor a acreditar mais no papel dele.”

Leia também:
Estudo do Iede: alunos que esperam ser professores no Brasil têm desempenho inferior à média nacional